29 de agosto de 2011

NOTA DE AGRADECIMENTO

ESTIMADOS COLEGAS:
.
APÓS 67 DIAS EM GREVE, LUTANDO POR MELHORES SALÁRIOS E CONDIÇÕES DE TRABALHO, VENHO POR ESTE INSTRUMENTO EXPRESSAR MEUS SINCEROS AGRADECIMENTOS A TODOS QUE ESTIVERAM EMPENHADOS DIRETA OU INDIRETAMENTE NESTA LUTA.
.
AGRADEÇO AOS BRAVOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO QUE SOMARAM OS FAMOSOS 2% DE GREVISTAS (SEGUNDO O SR. RISOLIA), TAMBÉM CONHECIDOS COMO OS 240 EDUCADORES DE SPARTA, QUE, APESAR DAS PRESSÕES, SEJA EXTERNA, NAS RUAS, ENFRENTANDO OS PAUS MANDADO DO GOVERNO, SEJA INTERNAMENTE, RESISTINDO A AL CAEDA DE SERGINHO MALVADEZA, AMEAÇANDO E PUNINDO COLEGAS, ATRAVÉS DE TERRORISMO PSICOLÓGICO, CORTE DE PONTO, GLP E SUBSTITUIÇÕES, PARTICIPARAM DAS PASSEATAS, ATOS E ASSEMBLÉIAS, EXERCENDO PRESSÕES SOBRE O GOVERNO, O JUDICIÁRIO E A ALERJ, CONSTRUINDO VISIBILIDADE E FORÇA AO MOVIMENTO.
.
TAMBÉM SOU GRATO AOS COLEGAS QUE ACAMPARAM NA RUA DA AJUDA, EM FRENTE À SEEDUC, SUJEITOS A PROVAÇÕES E CONFORTO DO LAR, ENFRENTANDO FRIO, CALOR, SUJEIRA E INSEGURANÇA. MAS QUE FORAM DE FUNDAMENTAL IMPORTÂNCIA DURANTE O RECESSO ESCOLAR, MANTENDO A LUTA BEM VIVA NA MENTE DA CATEGORIA E DA POPULAÇÃO.
.
SOU GRATO AOS COLEGAS QUE, MESMO NÃO ADERINDO A GREVE, MANTIVERAM UMA POSTURA ÉTICA E RESPEITOSA EM RELAÇÃO AOS DEMAIS COLEGAS, CONSCIENTES DE QUE A LUTA É DE TODOS.
.
A NOSSA VITÓRIA POLÍTICA FOI IMENSA. NUNCA REUNIMOS UM GRUPO TÃO FORTE E COESO, DISPOSTO A LUTAR ATÉ AO SANGUE, A FAVOR DE UMA MELHOR QUALIDADE NA EDUCAÇÃO PÚBLICA.
.
DEVEMOS CONTINUAR NOSSA LUTA. CONQUISTANDO NOSSOS ALUNOS E A COMUNIDADE, MESMO PORQUE A LUTA TAMBÉM LHES PERTENCE, UMA VEZ QUE SÃO OS FILHOS DOS TRABALHADORES QUE FREQUENTAM NOSSAS SALAS DE AULA. É PRECISO BUSCAR INFORMAÇÃO, ATUALIZAÇÃO E UNIDADE NOS ENFRENTAMENTOS QUE ESTÃO POR VIR. É ESTREMAMENTE NECESSÁRIO AÇÕES COLETIVAS QUE GARANTAM A BLINDAGEM DE COLEGAS AMEAÇADOS POR ATITUDES ESCUSAS.
.
CAROS COLEGAS. AINDA TEMOS MISSÃO A CUMPRIR NA ESCOLA E NA SOCIEDADE. NÃO PERMITIREMOS QUE NOSSA AUTONOMIA PEDAGÓGICA SEJA AFETADA PELA TECNOCRACIA OU MERITOCRACIA, OFERECIDA PELO PROJETO NEOLIBERAL. PARA ISSO É NECESSÁRIO O INCÓLUME POSICIONAMENTO CONTRA O PLANO DE METAS, SAERJINHO E QUALQUER OUTRA AVALIAÇÃO EXTERNA QUE NOS DIVIDE E NOS DESQUALIFICA.
.
A Luta Continua! Junto somos um rolo compressor!
.
EIS AQUI NOSSAS CONQUISTAS, ATÉ AGORA:
.
1. Descongelamento do plano de carreira do pessoal de apoio, a partir de setembro. (8% entre os níveis).
.
2. 5% de aumento e antecipação do Nova Escola de 2012 para os professores da rede , ativos e inativos, e profissionais da FAETEC. As demais parcelas do Nova Escola serão liquidadas em 2013.
.
3. Enquadramento por formação passa a ser automático sem os condicionantes da SEPLAG, podendo dar entrada todo os meses.
.
4. A gratificação de GLP será equivalente ao valor da remuneração do docente I, 16 horas, nível 3.
.
5. Reajuste para os animadores culturais de 14,6%, a contar de setembro de 2011.
.
6. A greve obrigou o governo soltar a lista dos enquadramentos por formação inclusive de 40h nos dias 15 e 29 de julho.
.
7. O movimento também fez o governo cumprir o descongelamento do plano dos funcionários, o reconhecimento dos animadores culturais com o pagamento de 1 parcela do Nova Escola mais 14 %.
.
8. Suspensão do concurso de 30h até que a SEDUC organize as cargas horárias de acordo com os 2/3 e 1/3 de planejamento. Assim 16h passa a ser 10t em sala e o restante para planejamento por exemplo.
.
9. Evitamos a extinção dos cargos de orientadores educacionais e pedagógicos.
.
10. Pagamento do bônus cultura que estava sempre sendo adiado.
.
11. Nosso movimento também forçou o governo a pagar a gratificação de diretores, retroativo a abril, ainda que o objetivo seja o de caçar os “negros” fujões.
.
12. Ganhamos força, visibilidade e apoio da sociedade, denunciamos todas as armações de Sérgio Cabramal e sua AL Qaeda. Além de seus acordos com empreiteiros e banqueiros em detrimento da população do Estado.
.
13. Porém, a meu ver, a grande conquista foi quebrar uma política de meritocracia que nos divide e nos distância, quebrando a paridade entre ativos e inativos, além de quebrar a paridade entre os próprios ativos. Após três anos sem reajuste linear, o governo foi forçado a fornecer um reajuste linear a toda categoria. Esta vitória política não tem preço.
.
PROFESSOR EDIR PEREIRA DA SILVA.
BLOG NA LUTA PELA EDUCAÇÃO SÃO GONÇALO

27 de agosto de 2011

ROSINHA É PIOR QUE CABRAL

A prefeita Garotinho além de não atender as reivindicações da categoria da educação e não receber o SEPE para negociações da extensa pauta consegue superar Cabral nos ataques a educação pública.

Enquanto 70% dos professores e funcionários da rede estadual ficaram em greve por 65 dias sem corte de ponto, a prefeita Rosinha corta ponto por paralisação de um dia. Isso é prova da cor vadia do atual governo municipal.

Isso deveria refletir na categoria como o extremo da indignação capaz de encorajar uma greve por tempo indeterminado.

Dia 14 de setembro vai acontecer a próxima assembleia da rede municipal, 17:30, na sede do SEPE.

Ousar lutar. Ousar vencer!!!

23 de agosto de 2011

ATENÇÃO EDUCAÇÃO MUNICIPAL DE CAMPOS!!!!


Amanhã será a ASSEMBLEIA da categoria às 17h. Foi aprovado na assembleia do dia 03/08 que seria na praça São Salvador entretanto, devido ao tempo chuvoso avaliamos que seria melhor reservar o auditório da ACIC que fica no Ed. Ninho das Águias, 16º andar, em frente a praça.

Contamos com a presença de TODOS OS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO!!!

21 de agosto de 2011

VAMOS DAR UM BASTA NOS ABUSOS CONTRA A EDUCAÇÃO!!!



CRECHE ESCOLA JOSÉ ESPÍRITO SANTO DO AMARAL


Estas fotos são da creche escola denunciada pela Coordenadora Geral do SEPE/Campos em entrevista ao Programa Folha no Ar.
A creche funciona em dois imóveis - em ruas paralelas - sendo que este da foto a SMEC nem se preocupou em tirar a placa do local onde já funcionou um posto médico. Já na rua paralela a esta do "posto médico" funciona a outra parte da creche numa casa alugada.
VERGONHA!!!



armazenamento indevido de lixo em caixas de papelão e sacos de cebola, em frente a escola ao lado da janela onde funciona o berçário da unidade.

PROFESSORA DA REDE MUNICIPAL DE CAMPOS DESABAFA

E-mail enviado ao Blog: S.O.S. EDUCAÇÃO EM CAMPOS

Sabe, estou muito chateada em trabalhar na prefeitura a cada dia que passa. Penso que, se antes havia sim uma desorganização municipal, hoje o que há é uma série de práticas coercitivas e cada vez mais opressoras com fins de "organizar a casa".

Com relação ao decreto:
Se antes era uma "festa" tirar licença, pois bastava vc ir ao PREVCAMPOS e ter a certeza que o perito não ia nem olhar na nossa cara mas, que ia dar exatamente número de dias que nosso médico pediu. Hoje, temos não somente a certeza de que o perito não vai olhar pra nossa cara, como também sabemos de cara que, "é ordem" que todas as licenças sejam cortadas a metade ou então reduzidas sem que seja avaliada a real necessidade do funcionário.

Há uma pressuposição de que todos que vão a PREVCAMPOS são pessoas não doentes? Será que são estelionatárias, inescrupulosas, um "lote" de pessoas sempre má intencionadas a simular uma doença inexistente? E com auxílio de outro profissional (o médico)?

Nossa secretária aponta "que tem tantos mil professores de licença médica atualmente". No entanto, a ilustríssima senhora, por ignorância ou despreparo intelectual ou a ausência do olhar humano, ainda não se deu conta de que há algo errado nisso tudo e a lógica não é: "professores tiram licença por hobby ou preguiça".

Será que somos tão mal caráter que queremos simular doenças pra receber integralmente? Ou será que estamos adoecendo diante de problemas sem solução?

A realidade do Professor...

Somos uma escola sem material escolar que se sustenta com verbas de educação federal dos projetos de complementação financeira da escola. Quando chega material da prefeitura, (o pouco que vem), nos transforma numa escola sem material escolar descente, haja vista a péssima qualidade desses materiais comprados pela prefeitura.

O interesse maior é o de fornecer, não o material que melhoraria nossa prática pedagógica e consequentemente alunos aprendendo, mas o de fornecer materiais que deixam pais muito felizes: uniforme escolar e merenda. Afinal, isso se transforma em VOTO!!!!

Nos cursos de capacitação do Expoente, vivenciamos a tortura bizarra de termos um livro totalmente descontextualizado com nossa realidade, e também a exposição ridícula de pessoas que nos ensinam a "trabalhar com o livro", como se fossemos ignorantes completos e incompetentes.

Nesses cursos, nos ensinam que vamos ter que usar este ou aquele material que sabem não existir na escola. Quando questionadas a cerca de nossa realidade e a dificuldade de por em ação a proposta, ouve-se aquele discurso alienador de "tudo quando é feito com amor e comprometimento, é possível". Amor e comprometimento é alguma moeda agora? Consigo eu comprar 9 folhas de papel cartão com eles?????

Temos uma política de educação pautada no aumento da oferta de vagas, sem haver uma ampliação do espaço. Vivemos em salas super lotadas, muitas em péssimas qualidades. Impossibilitando muitas vezes de ir de carteira em carteira, para cuidar do que nos toca: o lado pedagógico.

Convivemos com a violência e a falta de autonomia da escola de estabelecer normas de conduta. Nosso ambiente de trabalho virou um caos e o professor deve sair ileso disso tudo?

O que deve ser avaliado pela Prefeitura...

Aumentou-se o número de professores que pedem licença médica porque querem mais tempo com os filhos ou um passeio ao shopping??? Ou está tudo relacionado às péssimas condições de trabalho que geram estresses, desestímulos mil??? Ora bolas!!!

Engraçado disso tudo é que: se pedagogicamente podemos dizer que quando um número grande de alunos fracassa nas avaliações, é sabido que nós professores devemos então avaliarmos nossas práticas de ensino pra inverter a situação. Penso que se há um grande número de professores doentes, deve-se também por parte da prefeitura e da secretaria de educação primordialmente, fazer uma avaliação sobre o que tem disponibilizado ao seu quadro de professores que possa está gerando esse número expressivo de licença.




E a pergunta mágica que secretária e prefeita deveriam fazer é: o que tem levado essas pessoas adoecerem? São todas mal caráter mesmo? Um bando de funcionários descompromissados que querem ficar em casa, receber sem trabalhar?

Ao contrário de uma boa grande empresa que tem por filosofia o tratamento humanizado de seus funcionários, com opções que promovam seu rendimento, a nossa prefeitura vem sendo cada dia mais ineficaz. Fazendo-nos trabalhar com pesar, com descontentamento. Acho isso um absurdo!!!!!!!!!

E nós professores, o quem temos feito?



Nós professores ficamos à parte de tudo isso (haja vista o número quase que irrisório de pessoas que vão as manifestações).

Estou fazendo um RET numa escola onde NINGUÉM deixa de trabalhar pra se mobilizar. Na escola onde tenho a matrícula, as professoras quem se mobilizar sim, "desde que" tenham garantia de que não vão ter o ponto suspenso. Isso é desanimador. E diante disso, até mesma eu desisti de me mobilizar.

CRIS, não pense que sou mais uma que quer saber das coisas por fora, sem está dentro pegando no batente. Sabe, é aquela sensação de que não vale a pena lutar pelos acomodados? Pois é... tô assim.

ANGUSTIADA
CANSADA.
DESANIMADA

Sobre o lance das contratações...

É um absurdo eu ocupar num RET a minha própria vaga. E pior, receber por ela a metade do que deveria receber, fazendo eu o mesmo que faria se estivesse ocupando MEU cargo. E que graça: parece que está tudo lindo, está tudo tão maravilhoso!!!!

Fazer novo concurso em novembro? Com certeza Cris, terá o objetivo maior de "aprimora-lo" de acordo com os interesses da senhora prefeita e sua secretária: uma carga horária maior, limitação nos direitos do edital. Afinal, para elas, equivocadamente "professor não faz nada, trabalha só 4 "horinhas" e ainda reclama...

DECEPCIONADA, Cris.
CANSADA, Cris.
DESILUDIDA, Cris.

Enfim... é só.
PS: A identidade da autora do texto foi preservada.

ESCOLA MUNICIPAL JOÃO GOULART











Em visita recente a Escola Municipal João Goulart - Prefeitura de Campos - em Venda Nova, pudemos constatar as péssimas condições de conservação da mesma que, há bastante tempo sofre com o abandono do poder público, colocando em risco a integridade física dos alunos, professores e funcionários.

As fotos tiradas da referida escola é um dos exemplos mais evidentes de como a educação municipal é tratada.

Apesar da propaganda do governo Rosinha apresentar meia dúzia de escolas tidas como modelo a realidade da educação no município é outra.

A verdadeira face do governo Rosinha se revela nas fotos desta - dentre muitas outras - escola da rede municipal. Descaso, abandono, falta de respeito a população e aos profissionais de educação

A escola atende crianças da educação infantil, 1º ao 5º ano de escolaridade e, apesar dos sucessivos apêlos da comunidade escolar à SMEC e denúncias ao MP nenhuma providência foi tomada.

VERGONHA!!!

20 de agosto de 2011

EDUCAÇÃO E SAÚDE NA RUA, ROSINHA, A CULPA É SUA!

Na manhã de hoje - conforme decisão da assembleia da categoria no dia 03/08 - a educação e os concursados do PSF percorreram áreas centrais da cidade. Enquanto a Educação colava adesivos nos carros, a Saúde amarrou fitinhas brancas para chamar atenção da população sobre o concurso do PSF onde os aprovados ainda não foram convocados.

Educação e Saúde na rua, Rosinha, a culpa é sua!

19 de agosto de 2011

MAIS UM ATAQUE A EDUCAÇÃO DE CAMPOS II

Enfim o real motivo para não prorrogar o concurso de 2008 foi assumido publicamente pelo governo Rosinha Garotinho.


O SEPE tem denunciado há dois anos a carência de professores na rede municipal e, tentou por diversas vezes dialogar com o governo sobre a necessidade de convocação dos concursados de 2008 e prorrogação do prazo de validade do referido concurso. O SEPE foi às ruas com os concursados manifestar indignação com a forma que o governo tratou a questão. O governo fez "ouvido de mercador" e de maneira irresponsável não convocou e, não prorrogou o prazo de validade do referido concurso.

Diante disso, o SEPE apresentou denúncia ao MP o que gerou um inquérito civil público e, ponto.

No momento seguinte o SEPE entrou com uma ação civil pública antes do prazo de expiração da validade do concurso que seria em 30/05/2010. A ação foi protocolada em 17 de maio de 2010 como uma tentativa de garantir aos concursados a convocação e, aos alunos o preenchimento da carência de professores naquele período se apresentava com número elevado.

Foram muitas as tentativas junto ao secretário Fábio Ribeiro em busca de acordo - face a ação civil pública - para a convocação dos concursados e, este alegava que a carência não existia. Mentira!

Este ano - dia 05 de julho - pela primeira vez o secretário Fábio admitiu a carência, deixando ali o prenúncio das verdadeiras intenções do governo.

Só agora as suspeitas sobre a contratação de professores para suprir carências que tem se arrastado desde o ano passado, numa total falta de respeito aos alunos e pais está confirmada.

Não há dúvida que, a intenção do governo ROSINHA GAROTINHO - ao não convocar e prorrogar o concurso de 2008 - era a contratação que, significa TOTAL DESRESPEITO aos concursados e, a PRECARIZAÇÃO de professores a serem contratados e, principalmente prejuízo da escola pública.

Sendo o governo que é, não é difícil comprender a motivação destes contratos. A secretária de educação diz que é para garantir aulas aos alunos. Se esta afirmação fosse verdadeira -" os coronéis" e ela - não teriam permitido a carência de professores por dois anos consecutivos. Então, conhecendo o FISIOLOGISMO que impera na "doce" Planície Goytacá, não soa estranho que os contratos precários antecedam o ano eleitoral.

Uma vergonha!
Aliás, mais uma vergonha dentre muitas outras.

18 de agosto de 2011

SMEC ENTERRA A EDUCAÇÃO!



A SMEC - na atual gestão municipal - está criando problemas sem precedentes na história da educação municipal.
Nos últimos dias os ataques a educação pública do município e, aos direitos dos professores foram intensificados. Reina a sensação de instabilidade em cada um dos profissionais concursados que, estão sendo remanejados a revelia.
Além do trauma da excedêndia (???) de professores que estão com turmas desde o início do ano, não é compreensível do ponto de vista administrativo e funcional as razões pelas quais os professores estão sendo cedidos à outras unidades escolares e sua matrícula permanece na aquela em que atuou até então.
Estamos diante de algo inominável protagonizado pela secretaria de educação de Campos.
Ontem, estivemos na SMEC para prestar apoio aos profissionais e protocolar documentos solicitando da secretaria que reveja sua posição. Assim fizemos também - no dia de ontem - com relação aos readaptados.
Além disso, os professores protocolaram documento como demonstração do inconformismo frente a situação criada. A partir daí - caso seja necessário - outras medidas jurídicas devem ser tomadas.
Hoje muitos professores estiveram no SEPE e receberam orientações sobre a situação.
É triste observar como o governo municipal - através da SMEC - está promovendo o enterro da educação municipal.
Uma vergonha!

EDUCAÇÃO SOFRE ATAQUES DO GOVERNO MUNICIPAL

Matéria do Jornal Folha da Manhã, edição de 18/08/2011

Remanejamentos na rede municipal de Educação motiva piquete

Por causa de remanejamentos de professores da rede municipal, representantes do Sindicato Estadual de Profissionais da Educação (Sepe) realizaram um piquete na portaria da secretaria municipal de Educação contra possíveis notificações da Prefeitura a professores que estariam na condição de excedentes. O ato foi feito no início da tarde desta quarta-feira, enquanto ocorria uma reunião na secretaria com professores a serem cedidos a outras unidades escolares, que estariam com carência de profissionais.

De acordo com a diretora do Sepe em Campos, Graciete Santana, a secretaria estava retirando professores de laboratórios de informática e de salas de leitura e recursos para colocá-los em outras escolas, onde não há professores.

— Desde o início do ano, estamos recebendo informações de que professores estão sendo cedidos para outras escolas. Isso ocorre para suprir a carência tantas vezes denunciada pelo sindicato e mostra que sempre houve a necessidade de convocação dos aprovados no concurso de 2008 — disse Graciete.

A secretária de Educação, Joilza Rangel, disse que o remanejamento de professores excedentes para outras escolas precisava ser feito porque muitos alunos estavam tendo prejuízos no aprendizado por causa da falta de professores. Segundo ela, esta é uma medida administrativa. Joilza acrescentou que há um grupo técnico na secretaria para avaliar o quadro das escolas.

15 de agosto de 2011

O DESGOVERNO DA SMEC


Decididamente a SMEC perdeu o tom no que tange a educação municipal. Faltam professores pela intrânsigência da não convocação dos concursados de 2008 e, no auge do destempero tentam da pior forma possível remendar o estrago já feito.

Somente na E.M.Farol de São Thomé faltam 5 professores e, os alunos estão sendo privados das aulas desde o início do ano letivo.

O SEPE tem sido incansável na reivindicação pela convocação dos concursados. O problema atinge várias unidades escolares numa demonstração clara da irresponsabilidades do governo municipal.

Temos ainda a ação civil pública promovida pelo SEPE e, até agora nada. No ano passado (15/12/2010) aconteceu audiência no Fórum para tentar um acordo entre a Procuradoria do município, jurídico do SEPE e o Juíz. Resultado? Nada aconteceu. Este foi o dia do retorno da Prefeita ao cargo e, a representante da Pocuradoria deu depoimento contrário a convocação dos concursados.

Nos últimos dias a SMEC tem avançado assustadoramente no seu desgoverno. Para mascarar a carência tem usado mecanismos para criar falsos excedentes de professores nas unidades escolares. É o verdadeiro sucateamento da educação pública e precarização dos profissionais de educação.

Educação não se restringe somente ao professor x aluno. Existem ferramentas indispensáveis ao desenvolvimento da tarefa educacional, dentre elas as salas de leitura (Biblioteca), as salas de informática e salas de recursos. Para o espanto de todos a SMEC está fechando estes espaços a fim de gerar excedentes para suprir a carência de professores.

Como se não bastasse, a SMEC aprofunda seu desgoverno ao retirar professores de turmas de 3º e 4º ano de determinada escola municipal sob o pretexto de que estão excedentes. Como assim secretária Joilza Rangel?

O SEPE está acompanhando a situação posta e, oferece apoio e acompanhamento jurídico aos profissionais de educação envolvidos em situações deploráveis promovidos pela SMEC.

Ousar lutar. Ousar vencer!

REPÚDIO!

Alguns profissionais de educação da rede municipal, têm denunciado a Coordenação Geral do SEPE Campos que, alguns diretores deste sindicato furaram o movimento de greve dos dias 01,02 e 03 de agosto. Eles tem nome mas, prefiro não citá-los. São diretores que pertencem a corrente sindical diferente na qual milito.

Trair o movimento da categoria, aprovado em assembleia, constitui falta grave e fere o estatuto do SEPE. Caberia a referida corrente sindical tomar providências em relação a estes traidores da classe.

Os dirigentes sindicais são - ou deveriam ser - profissionais de vanguarda e devem a categoria um comportamento exemplar, aderindo incondicionalmente a todas as deliberações aprovadas nos fóruns dos profissionais de educação.

Este comportamento não denigre o SEPE porque este está além da má versação de cargo sindical por parte de alguns pelegos. O SEPE ao longo dos seus 34 anos de luta sempre foi combativo e, independente de patrões e governos, tendo como compromisso único a defesa da educação e dos direitos de seus profissionais. Cabe a categoria ficar atenta e não votar na chapa em que os traidores estiverem.

A UNIDADE CLASSISTA - corrente sindical da qual sou membro - REPUDIA a conduta dos diretores que ferem os interesses da categoria numa demonstração clara de que estão no lugar errado.
Graciete Santana
Coordenadora Geral do SEPE Campos


12 de agosto de 2011

SUSPENSA A GREVE DA REDE ESTADUAL: MAIS INFORMAÇÕES

DO BLOG NA LUTA PELA EDUCAÇÃO SÃO GONÇALO

A assembleia da rede estadual no Clube Municipal decidiu suspender a greve nas escolas estaduais. A plenária decidiu que a greve está suspensa, mas a categoria se manterá em estado de greve, com uma assembleia geral marcada para o próximo dia 27 de agosto (sábado), às 14h (local a confirmar). Na assembeia do dia 27 de agosto, os profissionais vão analisar o andamento da implementação do decreto 677/2011, aprovado ontem na Alerj pelos deputados estaduais e, então, decidir os próximos passos da mobilização da rede estadual na luta pela valorização da educação pública do Rio de Janeiro. O Conselho Deliberativo da rede estadual será realizado no dia 27 de agosto, pela manhã.

Sobre a reposição de conteúdos, a assembleia manteve as deliberações de outras plenárias de que as escolas devem ter autonomia para elaboração dos seus calendários de reposição das aulas. O acampamento montado na porta da SEEDUC deverá ser desativado na manhã deste sábado.

GREVE ESTADUAL CHEGA AO FIM

Terminou a greve da educação estadual.

Na assembleia que aconteceu hoje às 14h, no Clube Municpal na Tijuca, os profissionais de educação decidiram pôr fim a greve que durou 65 dias.

Foi aprovado ontem na ALERJ:
. reajuste de 5% para os profissionais de educação ativos e aposentados,
. antecipação das parcelas do Nova Escola referentes a 2012 e 2013 será pago em outubro,
. as parcelas referentes a 2014 e 2015 serão incorporadas em 2012,
. 14,6% de reajuste para animadores culturais,
. regulamentação da vida funcional dos animadores culturais,
. descongelamento do PCCS dos funcionários administrativos,
. incorporação de todas as parcelas do Nova Escola para os funcionários administrativos.

O governador Sérgio Cabral deve assinar o projeto aprovado por maioria na ALERJ no prazo de 15 dias.
Embora o reajuste de 5% seja abaixo dos 26% reivindicados pela categoria, o adiantamento das parcelas do Nova Escola é algo importante. Entretanto, o avanço maior que se deve ao movimento é o descongelamento do PCCS dos funcionários administrativos que convivem com o piso salarial abaixo do salário mínimo há mais de 10 anos.
A categoria precisa tomar consciêcia da importância da mobilização e adesão aos movimentos aprovadas em assembleia. Se não fosse a greve de 65 dias e a pressão feita ao governo estadual, os profissionais nada teriam conseguido e -melhor - se adesão tivesse alcançado um índice mais elevado que os 60% talvez tivéssemos conseguido o atendimento de todas as reivindicações.

Ousar lutar. Ousar vencer!

LUTO

O Blog NA LUTA PELA EDUCAÇÃO está de LUTO pelo falecimento - vítima de acidente - da Professora Alvalina Lourenço. A professora Alvalina era aposentada na rede estadual e, atuava na rede municipal numa escola em Santa Maria de Campos, distrito onde residia.


O SEPE APÓIA A LUTA DA E.M. PEQUENO JORNALEIRO

Temos acompanhado de perto a luta dos profissionais de educação, pais e alunos da E.M.Pequeno Jornaleiro em todas ocasiões que recorreram ao SEPE.


O primeiro episódio aconteceu há algum tempo e a diretora foi exonerada dando lugar a diretora Sandra Maia hoje afastada do cargo. Desde então os professores e animadores culturais perseguidos por defenderem os alunos destratados pela diretora afastada contam com o apoio jurídico do SEPE através do Dr.Alexandre que tem sua carreira voltada para a defesa dos trabalhadores e, voltado para a defesa dos profissionais de educação das redes municipal e estadual.

Orientados pelo SEPE os profissionais remanejados tiveram orientação de como proceder em relação a isso e foi consenso entre estes de que inicialmente seria protocolado um procedimento administrativo na SMEC, e isso foi feito no dia de hoje. Em breve estaremos disponibilizando o mesmo digitalizado nas redes sociais.

Ficou acertardo que no momento seguinte - caso seja necessário - o SEPE entrará com mandado de segurança conforme explicitado no documento administrativo.

É necessário esclarecer que, se os profissionais de educação envolvidos no lamentável episódio do Pequeno Jornaleiro se depararam com outro tipo de apoio é direito dos mesmos entretanto, o caminho indicado pelo SEPE segue no mesmo sentido, acrescido de necessária busca de entendimento na tentativa de poupar os profissionais de maiores desgastes.

O SEPE em seu estatuto é claro quanto ao seu caráter combativo, independente de governos e patrões. Apesar de salutar o apoio de parlamentares envolvidos com a causa da educação, o SEPE se mantém independente dos seus mandatos.

Permanecemos lado a lado com toda a comunidade escolar da E.M. Pequeno Jornaleiro.

O SEPE SOMOS NÓS. NOSSA FORÇA, NOSSA VOZ!

4 de agosto de 2011

ACORDA EDUCAÇÃO E SAÚDE! A LUTA É LEGÍTIMA E NECESSÁRIA!


70 % da roubalheira é no dinheiro da Educação e da Saúde. 60 % dos réus são ou foram prefeitos « FAX SINDICAL

70 % da roubalheira é no dinheiro da Educação e da Saúde. 60 % dos réus são ou foram prefeitos « FAX SINDICAL: "–
"AQUI COMEÇA A DESVALORIZAÇÃO DO MÉDICO E DO PROFESSOR. SETENTA POR CENTO DO DINHEIRO DESVIADO É DA EDUCAÇÃO E DA SAÚDE. SESSENTA POR CENTO DOS RÉUS SÃO OU FORAM PREFEITOS.
Cerca de 70% dos casos de desvio de dinheiro ocorrem nas áreas de Educação e Saúde, diz diretor da AGU
BRASÍLIA – Educação e Saúde, áreas de grande orçamento e muitos repasses de pequeno valor, são as grandes responsáveis pelos desvios de dinheiro público no Brasil. É o que informa o diretor do Departamento de Patrimônio e Probidade da Advocacia Geral da União (AGU), André Luiz de Almeida Mendonça. Ele informa não ter “dúvida em dizer que cerca 60 a 70% (dos desvios) se refere a esse tipo de área”.Do blog Fax Sindical.

03/08/2011: Assembleia do estado decide: greve continua!

03/08/2011: Assembleia do estado decide: greve continua!

Em assembleia na Fundição Progresso, na Lapa, os profissionais de educação das escolas estaduais decidiram continuar a greve. Na assembleia, a categoria considerou insatisfatórias as propostas do governador Cabral enviadas à Alerj esta semana. A categoria também decidiu manter o acampamento em frente à Seeduc; nova assembleia será feita na terça-feira, dia 9, às 14h, nas escadarias da Alerj.

Em reunião com a direção do Sepe na segunda (dia 1), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Paulo Mello, afirmou aos diretores do sindicato que "vai interceder pessoalmente para melhorar a proposta. O governador dividiu suas propostas em duas mensagens: a Mensagem nº 34 do governador tem os seguintes itens: antecipa a parcela 2012 do Nova Escola para os professores, incorpora na totalidade a gratificação Nova Escola para os funcionários (retroativo a julho), reajusta em 3,5% os salários dos professores (pagamento em setembro) e descongela o Plano de Carreira (Lei nº 1348) dos funcionários, passando o piso para o salário mínimo. Já a mensagem nº 35 cria o cargo de Professor de 30 horas, já com a adaptação às regras federais (20 tempos em sala e 10 de estudo e planejamento).

Entre as principais reivindicações da categoria está a incorporação imediata da gratificação Nova Escola, pois qualquer reajuste linear feito sem essa incorporação total é uma antecipação menor disfarçada, como ocorre agora com a proposta do governo: como os profissionais de educação terão pendentes parcelas da incorporação da gratificação Nova Escola até 2014, mesmo com os 3,5% propostos pelo governo e aplicados em 2011, os valores dos salários de 2012 a 2014 continuarão os mesmos de antes deste pequeno reajuste, como a própria tabela do governo mostra. Repare na tabela que o Sepe disponibiliza no site que o valor final do Nova Escola, em 2014, no nível 3, por exemplo (e em todos os níveis), continua igual (R$ 954,11), mesmo com o reajuste de 3,5% em 2011 - clique aqui para ver a tabela do Sepe, que também simula 3,5% de reajuste no valor total do Nova Escola.

Como a tabela comprova, o reajuste de 3,5% incide apenas no salário de 2011 dos professores, já que os valores divulgados pelo governo dos salários de 2012 a 2014, quando terminaria a incorporação do Nova Escola, continuam os mesmo de antes do reajuste! Assim, o que o governo chama de "reajuste" em 2011 é, na verdade, uma pequena antecipação. Cabe ao governo do estado explicar melhor sua proposta.

Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do RJ

A EDUCAÇÃO PAROU!!!


A EDUCAÇÃO PAROU!!!

Os professores e funcionários da Secretária de Estado Educação (SEEDUC) estão em greve há 60 dias. Os professores e funcionários da FAETEC entraram em greve ontem. O Instituto Federal Fluminense está em greve. Os professores e funcionários da rede municipal de educação de Campos - em estado de greve - decidirão na assembleia do dia 24 de agosto se entrarão em greve por tempo indeterminado.

A educação parou!

Nota zero para "nossos" governantes!

Ousar lutar. Ousar vencer!

O DESPREZO PELAS MERENDEIRAS

ALEXANDRE BRASIL FONSECA
.
Os conhecimentos reunidos pelo campo da educação já são mais do que suficientes para atestar o quanto amplo e inclusivo é o processo educativo. A escola tem sido entendida como um espaço sociocultural, numa situação em que homens, mulheres e crianças se "educam entre si", trocam experiências e conteúdos que vão muito além do espaço da sala de aula.
.
Em relação à alimentação, esta compreensão tomou escopo de lei ao se afirmar a importância da promoção de uma alimentação saudável e adequada nas escolas (Lei 1.010/2006) e ao definir novos parâmetros relacionados à aquisição, à abrangência e ao papel educativo da alimentação escolar (Lei 1.1947/2009).
.
O Programa Nacional de Alimentação Escolar é uma das mais antigas e amplas políticas públicas em vigência no país, e as recentes alterações no programa representam importantes avanços, sendo uma referência internacional. Sua abrangência foi ampliada com a inclusão do ensino médio, reafirmando-se a alimentação escolar como um direito dos alunos.
.
A lei de 2009 exige que os governos municipais e estaduais utilizem, pelo menos, 30% dos recursos repassados pelo governo federal na compra de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar. Essa decisão possui significativa importância, pois representa um importante estímulo para a economia, como também a possibilidade concreta de um menor consumo de alimentos industrializados graças à aquisição desses produtos in natura, os quais também ampliam a possibilidade de termos uma maior presença da cultura alimentar local.
.
O espaço da alimentação escolar representa uma rica oportunidade de exercício da tão desejada interdisciplinaridade, sendo também central para a educação em saúde. Nesta tarefa a comunidade escolar pode e deve ser acionada na promoção de inovadores processos educativos relacionados à alimentação, os quais precisam ir além da atuação dos profissionais de educação, incluindo os de saúde e os da assistência.
.
Nesse sentido, considera-se lamentável a afirmação neste O GLOBO do subsecretário estadual de Gestão de Ensino, sr. Antonio Neto, segundo o qual é mais adequado que as merendeiras sejam terceirizadas, pois "não precisam ter uma base pedagógica", já que para ele "uma merendeira só precisa manusear os alimentos".
.
Historicamente tem sido atribuída às merendeiras uma posição socialmente inferior. As pessoas que exercem essa função são, em sua maioria, mulheres, negras, com baixa escolaridade e são vistas como semidomésticas. Para piorar, sua remuneração é baixa, menos do que a metade do que é pago aos funcionários terceirizados pelo governo estadual do Rio de Janeiro para exercer a mesma função.
.
As possibilidades de contribuição das merendeiras nos processos de ensino e aprendizagem são enormes. É fundamental que gestores e professores tenham em mente esta compreensão e que promovam ações e oportunidades para tal inserção em torno da multidimensionalidade da alimentação. Práticas que vão muito além do preparo e da distribuição dos alimentos e que incluem atenção, afeto, cuidado e conhecimento variados - oriundos tanto de saberes populares como científicos.
.
Também é fundamental que seja assumida a importância das merendeiras, com o desenvolvimento de uma carreira pública e de processos formativos em que as mesmas sejam incluídas, numa perspectiva de que sua formação vá além de aspectos higiênicos e sanitários, incluindo condições de trabalho, melhores salários e diálogo dessas chefs escolares com especialistas do campo da gastronomia, tornando os momentos de alimentação na escola espaço de mais prazer e de novas aprendizagens. Ações educativas desenvolvidas nas escolas em torno da alimentação precisam incluir a contribuição das merendeiras, as quais possuem uma relação direta com os alunos, e a possibilidade de partilhar novos e importantes conhecimentos com a comunidade escolar.
.
ALEXANDRE BRASIL FONSECA é professor da UFRJ e coordena a pesquisa "Mapeamento e delimitação da alimentação escolar no Brasil", do Observatório da Educação/Capes-Inep.
.
Artigo publicado em 1/8/2011 no jornal O GLOBO

CARTA ABERTA AOS DEPUTADOS DO RIO DE JANEIRO

CARTA ABERTA AOS DEPUTADOS DO RIO DE JANEIRO
por Edir Pereira da Silva

SENHORES DEPUTADOS.

EM ÉPOCA DE CAMPANHA ELEITORAL OS SENHORES INVADEM NOSSAS RESIDÊNCIAS PROMETENDO MELHORAR OS SERVIÇOS BÁSICOS PARA A POPULAÇÃO, DENTRE ELAS, A EDUCAÇÃO.

A EDUCAÇÃO DE UM ESTADO É O QUE O DIFERENCIA DOS DEMAIS, ELA É O PILAR DA SOCIEDADE, É A BASE DE SUSTENTAÇÃO DE UMA SOCIEDADE, QUE A QUALIFICA E A DIFERENCIA DAS DEMAIS SOCIEDADES. NÃO HÁ QUALQUER PROFISSÃO OU QUALIFICAÇÃO QUE NÃO PASSE PELO INSTRUMENTO DA EDUCAÇÃO.

VERIFICAMOS QUE EM NOSSO PAÍS HÁ DIVERSOS POSTOS DE TRABALHOS, PORÉM NÃO HÁ MÃO DE OBRA QUALIFICADA, ISTO PORQUE A EDUCAÇÃO VEM SENDO FRAGILIZADA AO LONGO DE DÉCADAS, ATRAVÉS DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS QUE VISAM A MERITOCRACIA EM DETRIMENTO DE UMA PEDAGOGIA EFICAZ DISCUTIDA COM OS EDUCADORES E O CONJUNTO DA SOCIEDADE.

NESTE MOMENTO DELICADO, EM QUE OS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO VEM ÀS RUAS, SOLICITAR O APOIO DA SOCIEDADE EM BUSCA DE UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE QUE, EVIDENTEMENTE, PASSA PELA VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS, OFERTANTO UM SALÁRIO QUE FAZ JUS A TÃO ELEVADA PROFISSÃO, FICO CURIOSO EM SABER QUAL A RAZÃO QUE LEVA OS SENHORES A NÃO SAIR EM DEFESA DA EDUCAÇÃO DO NOSSO ESTADO, CUJA PAUTA SERVIU DE PLATAFORMA DE SUAS CAMPANHAS?

SERÁ QUE OS SENHORES, ENQUANTO FISCAIS DO POVO, SÃO TÃO ALIENADOS QUE NÃO OBSERVAM O GOVERNO ESTADUAL DESPEJAR MILHÕES DE DINHEIRO PÚBLICO NA MÃO DE EMPREITEIROS E MEGA-EVENTOS, ENQUANTO ALEGA QUE NÃO TEM R$ 190,00 (OU 26%) DE AUMENTO PARA O PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO?

OU SERÁ QUE OS SENHORES TAMBÉM ESTÃO MACOMUNADOS COM TODA ESSA "LAMA" QUE O SR GOVERNADOR REPRESENTA NA ADMINISTRAÇÃO DO BEM PÚBLICO?

É EXTREMAMENTE NECESSÁRIO QUE OS SENHORES VENHAM A PÚBLICO, POSICIONANDO-SE, CLARAMENTE, DE QUE LADO OS SENHORES ESTÃO. SE AO LADO DE EMPREITEIROS, REPRESENTADOS NA FIGURA DO SR. CAVENDISCH E EIKE BATISTA, OU AO LADO DO POVO QUE O ELEGEU PARA TÃO NOBRE MISSÃO DE FISCALIZAR AS AÇÕES DO EXECUTIVO DO ESTADO.?

SE O PLANO DE METAS DA EDUCAÇÃO É TÃO EFICAZ, COMO DIVULGA O SR. WILSON RISOLIA, PROPONHO QUE OS SENHORES RECEBAM UM SALÁRIO SEMELHANTE AO DO PROFESSOR E SEJAM ABONADOS MEDIANTE A PRODUTIVIDADE DOS SENHORES NA FUNÇÃO QUE O POVO VOS DELEGOU. OS SENHORES TAMBÉM SÃO DIGNOS DE SEREM CONTEMPLADOS POR TÃO "BRILHANTE" IDÉIA.

AGUARDO, ENQUANTO CIDADÃO, A RESPOSTA PÚBLICA DOS SENHORES.!!

EDIR PEREIRA DA SILVA

REVOGAÇÃO DO DECRETO 305 E SEUS REMENDOS, JÁ!

ROSINHA RECUA E ALTERA DECRETO 305/2011

O Diário Oficial do Município publicou hoje (04), por determinação da prefeita Rosinha Garotinho (PMDB), o Decreto 419/2011, que estabelece exceções para portadores de doenças greves, no procedimento de controle das licenças médicas para servidores municipais, alterando o Decreto número 305/2011.
A prefeita assinou o novo Decreto desde o dia 14 de julho, mas procedimentos administrativos internos da Procuradoria Geral do Município acabaram postergando sua publicação, que ocorreu hoje. O Decreto 419/2011 altera o artigo 2º do Decreto 305/2011, e prevê casos de excepcionalidade para a sanção de perdas de benefícios como vale-transporte ou vale-alimentação, para as licenças que excedessem 120 dias. A licença médica por mais de quatro meses passa agora a prever exceções para doenças como a AIDS, câncer, tuberculose, esclerose múltipla, doença genética com manifestações clínicas graves, entre outras.

Vereador protestou em junho —
O vice-presidente da Câmara de Campos, vereador Rogério Matoso (PPS), se posicionou contra o Decreto 305/2011 no dia 21 de junho (aqui) e protocolou o seu parecer no Ministério Público, que encaminhou o documento ao Procurador-Geral de Justiça (aqui). Segundo Matoso, a prefeita passou por cima de uma competência da Câmara. Hoje (04), após tomar conhecimento sobre a alteração, o vereador explicou que vai analisar tudo com calma. “Em primeiro lugar é importante frisar que foi importante o nosso posicionamento contra este Decreto que, além de inconstitucional, feria vários direitos dos servidores”, disse Matoso, frisando que vai continuar lutando pela revogação. “Ela não pode continuar atropelando a Câmara”, frisou o parlamentar, que participou hoje pela manhã do programa “Página Aberta”, na rádio Educativa FM.

Profissionais da rede municipal de Educação em manifestação na Praça São Salvador

Profissionais da rede municipal de Educação em manifestação na Praça São Salvador

Matéria da edição de hoje no Jornal Folha da Manhã


Profissionais da rede municipal de Educação em manifestação na Praça São Salvador

Alessa Oliveira
Profissionais da rede municipal de Educação se reuniram para realização de um ato público, na Praça São Salvador, durante a tarde desta quarta-feira, em Campos. Organizada pelo Sindicato Estadual de profissionais de Educação (Sepe), a manifestação contou com educadores, mães de alunos e diretores que foram apoiar a causa da categoria, que luta por um reajuste salarial de 30%, e revisão do Plano de Cargos e Salários, além de reivindicarem do governo municipal a convocação de aprovados do concurso 2008, objetivando acabar com a carência de profissionais nas unidades escolares. A equipe de reportagem da Folha esteve em vários núcleos escolares, municipais e estaduais da cidade, e se depararam com os portões fechados. Já na rede estadual, uma assembléia realizada no Rio, votou pela continuidade da greve que já dura um mês. Ainda ontem, o Instituto Federal Fluminense (IFF), Campus Guarus, também entrou em greve por tempo indeterminado.

De acordo com uma das diretoras do Sepe, Graciete Santana, uma nova data já está marcada para realização de mais uma assembléia, a ser realizada também na praça São Salvador, para definir o rumo da categoria.

— No dia 20 faremos novamente, aqui na praça, um ato para adesivar todos os veículos que nos apóiam nessa luta. E no dia 24, acontecerá uma nova assembléia, de modo que será definido se iremos aderir à greve ou não — explicou a diretora, mencionado ainda que nesse dia 24, não haverá paralisação dos servidores municipais

2 de agosto de 2011

ATO DA REDE MUNICIPAL

Divulgamos em emissoras de rádio, visitamos escolas, panfletamos, entregamos cópia do ofício protocolado para a secretária Joilza e Vice-Prefeito Dr. Chicão, etc.

Missão quase cumprida no dia de hoje. Às 18h mais uma rodada de entrega de Boletins do SEPE. Amanhã quem deverá dar o tom nessa luta é a categoria da educação no ato e assembleia.
O ato será às 14h na Praça São Salvador.

Ousar lutar. Ousar vencer!

ATO DA REDE MUNICIPAL

Divulgamos em emissoras de rádio, visitamos escolas, panfletamos, entregamos cópia do ofício protocolado para a secretária Joilza e Vice-Prefeito Dr. Chicão, etc.

Missão quase cumprida no dia de hoje. Às 18h mais uma rodada de entrega de Boletins do SEPE. Amanhã quem deverá dar o tom nessa luta é a categoria da educação no ato e assembleia.
O ato será às 14h na Praça São Salvador.

Ousar lutar. Ousar vencer!

1 de agosto de 2011

Sepe Campos solicita através de ofícios o abono de ponto dos profissionais de educação em greve e audiência com a prefeita

O Sepe Campos enviou ofícios hoje ao Gabinete da Prefeita e à Secretaria de Educação solicitando o abono de ponto dos profissionais de educação de Campos que estão em greve por 72 horas a partir do dia de hoje até o dia 03 de agosto e solicitando também uma audiência em caráter de emergência com a prefeita Rosinha Garotinho, a fim de abrir as negociações da pauta de reivindicações dos profissionais de educação.

Segue abaixo os dois ofícios enviados e protocolados:

Clique na imagem para ampliá-la







A PARALISAÇÃO DE 72H DA REDE MUNICIPAL


Começou hoje a paralisação da rede municipal. A adesão está sendo muito boa e tudo indica que teremos um grande ato e assembleia no dia 03 de agosto.

Atendemos hoje várias escolas e creches e apesar da intimidação da SMEC através das diretoras de escolas a categoria tem reagido satisfatoriamente ao movimento aprovado na assembleia do dia 05 de julho.

Uma das dúvidas é em relação ao ponto. Esclarecemos que o SEPE já protocolou na SMEC e no Gabinete da prefeita a solicitação do abono dos dias parados e uma audi~encia em caráter de urgência com a Prefeita e presença da secretária de educação.

O que podemos adiantar é que o abono do ponto ou não é uma decisão do governo e, esperamos contar com a sobriedade do mesmo em não prejudicar o calendário escolar já que, se houver corte de ponto não haverá nenhuma reposição dos dias parados pois não se pode pagar a mesma conta duas vezes.

O melhor nisso tudo é que, mesmo com alguns colegas temerosos a maioria está decidida e, com abono de ponto ou não, compreendem que a mobilização é necessária e que sem luta não há possibilidade de conquistas.

Amanhã - segundo dia de paralisação - a categoria não deve comparecer ao curso de capacitação pois este também é um ponto de insatisfação após a queda do índice de 3 para 1% para cada 40h de curso.

O movimento está forte e estamos aguardando a sinalização da prefeita Rosinha para a audiência solicitada pelo SEPE.

Ousar lutar. Ousar vencer!